Translate

Casa do Passal em Risco de Ruína Iminente

domingo, 15 de agosto de 2010

Read in English here

Segundo o Eng Victor Cóias, reconhecido especialista em estruturas, a "Casa do Passal está em situação de ruina iminente".

Segundo o presidente do GeCORPA, o Grémio das Empresas de Conservação e Restauro do Património Arquitectónico, o estado de degradação acentuado da Casa do Passal deve-se sobretudo à entrada da água pela cobertura.

As declarações constam de um vídeo disponível no portal do GeCORPA, produzido recentemente por Francisco Manso com apoios da STAP. O vídeo mostra também uma simulação da Casa do Passal restaurada, depois de consolidar paredes e pisos interiores e de renovar completamente a cobertura, a fim de restituir a solidez e integridade estrutural ao edifício.

A Casa do Passal é propriedade da Fundação Aristides de Sousa Mendes, uma fundação privada de capitais maioritariamente públicos.

Antes da Casa do Passal ser classificada como Monumento Nacional pelo IGESPAR em 2005, os pisos foram escorados e o telhado foi reparado pelos voluntários João Crisóstomo e António Rodrigues. Essa primeira iniciativa tangível para salvar a casa de Sousa Mendes contou também com o apoio de várias pessoas de Cabanas de Viriato e Beijós que deram madeira, telhas, ajudaram a retirar o lixo, etc. Assim, a Casa do Passal foi poupada as chuvas de alguns Invernos.

Mas o telhado voltou a ruir, e vem apresentando buracos cada vez maiores de 2008 para cá, à medida que a madeira dos barrotes apodrece e as telhas vão caindo.

Por isso, é cada vez mais urgente colocar uma cobertura temporária, que custaria cerca de 150.000€ e que teria que ser aprovada pelo IGESPAR.

A 19-Julho-2010, por ocasião do 125º aniversário do nascimento de Sousa Mendes, foi lançada uma campanha de angariação de donativos para este efeito no blog dos Amigos de Sousa Mendes e no grupo Salvar a Casa de Sousa Mendes que tem mais de 15.000 amigos no Facebook.

As telhas caiem todos os dias. Quantas telhas cairão hoje?

Não há tempo a perder para salvar a Casa do Passal e a memória de Aristides de Sousa Mendes em Cabanas de Viriato.

O vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=HbRwXFurl4g,   Para solicitar uma transcrição, contactar amigosdesousamendes...gmail.com

A campanha “A birthday gift in memory of Aristides": http://amigosdesousamendes.blogspot.com/search/label/Passal

O Fundo de Investimento (Investment Fund) da Fundação Aristides de Sousa Mendes, Caixa de Crédito Agrícola, Cabanas de Viriato: NIB: 0045 3321 4018 5666 95578

O portal do IGESPAR http://www.igespar.pt/

25 Comentários:

Mangas arregaçadas disse...

Falta arregaçarem as mangas.

Anónimo disse...

Não basta arregaçarem as mangas.
Terá de haver interesse e envolvimento dos governantes nomeadamente os locais.

beijokense disse...

A lista de governantes e ex-governantes envolvidos não é pequena...

Fotógrafo disse...

Governantes envolvidos como,para a fotografia?

Dar a cara não basta.

Anónimo disse...

sim, se a Junta de Freguesia de Cabanas tivesse 150.000,00€.

Encarregado de educação disse...

Quem dá o pão, dá a educação.
Se se trata de uma fundação de "capitais maioritariamente públicos, porque é que o controlo está nas mãos de privados?

Onde está o IGESPAR quando é preciso?
Sentado a ver as telhas cair?

Anónimo disse...

Deixem cair porque os associados e familiares apenas querem jantares `a custa das ofertas.
O dinheiro nunca vai chegar para construir a casa porque os fundos continuam em posse de privados...O povo de Cabanas sabe o que fazer , melhor vender a um Belmiro de Azevedo ou outro ricalhasso.

Micas10 disse...

Nestes 10 anos, os dirigentes da Fundação não fizeram sequer o mínimo possível para evitar a derrocada eminente da Casa do Passal. Podiam ter colocado oleados, podiam ter tapado as janelas,etc.

São 5 os responsáveis do Conselho de Administração:
Alvaro Sousa Mendes
António Moncada Sousa Mendes
Luis Fidalgo
José Miguel Duarte
Presidente da Câmara de Carregal do Sal

Não cumprem sequer os Estatutos,não cumprem os princípios do Código de Boa Governação de Fundações (www.cpf.org.pt/codBoasPrat.pdf).

Até parece que têm cargos vitalícios, que não têm que responder perante ninguém.
É uma vergonha para todos nós.

Jorge da Paz disse...

Àqueles responsáveis (?) do Conselho de Administração da Fundação ASM, que nada fez, eu acrescentaria um outro nome, a Drª Maria Barroso, Presidente da Fundação, que igualmente, durante todos estes anos, tem deixado andar e "cair"...

Paulo M. A. Martins disse...

Continuação

Tanto quanto me é dado aperceber, parece que se está a avançar para a criação de uma alternativa à Fundação Aristides de Sousa Mendes, o que eu, desde já, discordo frontal e liminarmente!

Sem prejuízo da existência dos Grupos de Amigos, é na Fundação Aristides de Sousa Mendes que os problemas têm que ser clarificados, equacionados e, de uma vez por todas, resolvidos, entre os seus membros e familiares com assento estatutário! A esses sim, assiste-lhes toda a legitimidade!

A Fundação Aristides de Sousa Mendes não é nem poderá transformar-se num feudo de interesses pessoais, dado que é uma Instituição legal e legalizada e integrada num Estado de Direito Democrático onde as regras são bem claras!

A continuar assim, sinceramente, é caminhar para o descrédito total da Instituição e para o trair do pensamento de Aristides de Sousa Mendes!

A Casa do Passal, infelizmente, vai desmoronar-se se não forem tomadas medidas rápidas. Em 2008, para que fique claro, apresentei um "Plano" para se obterem apoios e ajudas internacionais, mas da Fundação Aristides de Sousa Mendes não houve qualquer receptividade e ou de reacção. Inclusive, no meu blogue, cheguei a enumerar todos esses passos... Hoje, infelizmente, é o que se vê: Quanto pior melhor!

Infelizmente, até parece que há pessoas que, por não terem as ideias e as soluções, por não serem as suas próprias ideias e ou soluções, todas as achegas ou colaboração que lhes sejam presentes, resolvem liminarmente ignorá-las e ou rejeitá-las! Como é o caso!

Para terminar, diria ainda, que a Fundação Aristides de Sousa Mendes, onde está tudo, mas tudo por fazer, não deve nem pode continuar a ser o "penacho" de alguns, cujo objectivo é o de se promoverem pessoalmente e, assim, alimentando o seu próprio ego!

Felizmente, é muito e muito mais do que isso!

Perdoem-me pela frontalidade, desta abordagem, mas não sou homem de e para lamúrias! Tenho por hábito reduzir os problemas à sua verdadeira dimensão e, a partir daí, então sim, arregaçar as mangas da camisa e deitar mãos à obra!

Todavia, quero expressar vivamente a minha solidariedade irrestrita e homenagem a todos quantos, de uma forma dedicada, abnegada e com algum sacrifício, se dedicam a tão NOBRE CAUSA - A CAUSA ARISTIDES DE SOUSA MENDES!

Paulo M. A. Martins
Jornalista
Brasil, Fortaleza, Ceará

Paulo M. A. Martins disse...

Em Março de 2008, desloquei-me, com o Dr. Jorge da Paz Rodrigues, à sede da Fundação Aristides de Sousa Mendes, para apresentar um Plano de Actividades tendente à dinamização da Fundação e torná-la mais visível e dinâmica, onde fui recebido, de entre outros, pelo Senhor Major Álvaro de Sousa Mendes e professor António Moncada Sousa Mendes. E a participação em outras se seguiram, até ao meu regresso ao Brasil, em Junho do mesmo ano.

Concretamente, os Drs. Jorge da Paz Rodrigues e Daniel Ribeiro, que entretanto se havia juntado ao grupo dinamizador, avançaram com a iniciativa da realização da Grande Gala de Homenagem a Angelina e Aristides de Sousa Mendes, a realizar no Coliseu dos Recreios em Lisboa. Depois de obtida e garantida a Sala do Coliseu dos Recreios, a presença do Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva, a colaboração da TAP, com a cedência de viagens para alguns artistas estrangeiros convidados, etc, etc, etc. Chegou ao meu conhecimento de que o Senhor Major Álvaro de Sousa Mendes, por sua própria iniciativa, mas falando sempre em nome da Fundação, havia, pura e simplesmente, cancelado a Grande Gala!

Antes de mais, importa sublinhar que não fui, não sou nem serei candidato a qualquer lugar ou posição na Fundação Aristides de Sousa Mendes! Não me animam nem nunca me animaram esses objectivos!

Posto isto, é bom que se diga, com toda a transparência e objectividade, que a questão de fundo que determinou o cancelamento da Grande Gala, foi uma questão de protagonismo: Quem é quem?

Em boa verdade, um grupo de três pessoas, ilustres desconhecidas (Daniel Ribeiro, Jorge da Paz Rodrigues), perante a inoperância de uma Fundação, propor-se levar a cabo uma iniciativa desta envergadura, era caso para pensarem seriamente... Daí, o AVC sofrido pelo Daniel Ribeiro, que só agora teve alta, mas a necessitar ainda de acompanhamento e cuidados médicos, assim como a desmobilização de alguns outros, enquanto, paulatinamente, se consolidaram alguns "Yes, Sir!", não na perspectiva de ajudar a Fundação nos seus objectivos estatutários e prioritários, mas, isso sim, única e exclusivamente, com o objectivo cego e determinado de se promoverem a si próprios!...

Desde a primeira hora, entregámos a liderança de todo o projecto ao Conselho de Administração, na pessoa do Senhor Major Álvaro de Sousa Mendes, embora os contactos estivessem a ser desenvolvidos, com sucesso, pelo Daniel Ribeiro e pelo Dr. Jorge da Paz Rodrigues.

Para o Major Álvaro de Sousa Mendes, foi mais fácil, embora sem justificação plausível, cancelar tudo, fazendo abortar todo um trabalho erguido de raiz, traindo a generosidade e a dedicação de todos quantos se entregaram, de alma e coração, a esta "task force"!

Obviamente, porque legitimidade não me assiste, não me vou envolver nas questões internas da Fundação Aristides de Sousa Mendes, muito menos dos seus membros, mas importa saber claramente o que se pretende fazer da Fundação e com a Fundação.

Por ser um crime de lesa pátria, a Fundação não pode continuar a ser um feudo privilegiado de alguns dos seus membros, sob pena de trair o espírito de Aristides de Sousa Mendes, um mártir do totalitarismo!

Desde há já algum tempo, tomei a iniciativa de, ao longo das minhas palestras, realizadas aqui no Brasil, nos meus escritos, intervenções públicas e não só, de, pela primeira vez, sugerir a traslação dos restos mortais de Aristides de Sousa Mendes para o Panteão Nacional, em Lisboa.

Imediatamente, se fez sentir o "recado" de que só seria possível com autorização expressa dos familiares, como se de um qualquer objecto se tratasse!...

Todavia, importa ter presente que, quer se queira quer não, Aristides de Sousa Mendes não mais é propriedade de quem quer que seja. É, por excelência, um Património da Humanidade, Um Justo entre as Nações!

Continua abaixo

Paulo M. A. Martins
Jornalista
Brasil, Fortaleza, Ceará

Forever disse...

Segundos os estatutos,http://fundacaoasm.planetaclix.pt/asm_EstatutoseOrgaos.ht, devem ser mesmo vitalícios os cargos na Fundação.

Não fazem, nem precisam de deixar fazer.

Anónimo disse...

O Estado deve intervir.
ASM é Português.

Anónimo disse...

A culpa é do S. Pedro

Conselho Geral disse...

Outros responsáveis pela "situação de ruina eminente da Casa do Passal" nos outros orgãos sociais da Fundação:

Presidente - vago desde 2005 por morte do titular
António Carlos Carvalho
Diana Marina Dias Andringa
Jacques Rivière
José Alain-Fralon
José Manuel Botelho de Sousa Cymbron
Joshua Gabriel Benoliel Ruah
Maria Salomé Cabrita de Sousa
Nuno Gonçalo Gago da Câmara Botelho de Medeiros

CONSELHO FISCAL
Patrícia Salgado Goldschmidt Catanho de Menezes
Pedro Castela Duarte de Araújo e Sá

Reconhecido disse...

Subscrevo totalmente Paulo M. A. Martins...
Mas estou acreditando que apenas nos resta tornar cada vez mais grandioso o seu acto heroico, divulgando e explicando-o às gerações futuras, sem depender da indignidade ou vontade de ninguém. A causa de ASM bem merece a persistência de tantos admiradores e seguidores.O que não merecia nem merece é tantos impostores.
O problema é que as marcas do tempo não deixam de fazer os seus efeitos perante tamanha e irreparávél apatia.
Se a tomada de decisões de ASM ao passar os vistos que o tornaram um Cidadão do Mundo, seguisse os métodos destes "empatas" institucionais, todos os refugiados salvos pelo seu acto, teriam sofrido uma história bem mais triste.

Derrocada de edificio devoluto disse...

Se o a "situação de ruina iminente" é causada pela água da chuva, que é previsivel, então trata-se de uma questão de negligência da parte dos responsáveis pela Casa do Passal, que falharam em tomar as devidas precauções.

Nem protegeram o telhado, nem entaiparam as janelas.

Quando acontece a derrocada de um prédio devoluto, quem apura as responsabilidades?

Iminente ou eminente? disse...

Será a derrocada iminente da casa de uma pessoa eminente?

Estatutos disse...

A Drª Maria Barroso não têm responsabilidades executivas como presidente da Fundação. Ela ajudou a criar a Fundação Sousa Mendes mas agora serve apenas para a fotografia.

As funções executivas, tratar do projecto da Casa do Passal,desde tapar o telhado até capinar o jardim, são da competência dos 5 membros do Conselho de Administração.

PPP Lusofonia disse...

Numa nova edição da biografia de Aristides de Sousa Mendes, Rui Afonso revela que dois atores de "Casablanca" - Marcel Dalio e Madeleine LeBeau - foram salvos pelo cônsul em Bordéus.

José Pedro Castanheira (www.expresso.pt)
8:30 Segunda feira, 23 de Agosto de 2010
http://aeiou.expresso.pt/play-it-again-aristides=f600026#commentbox

Fotógrafo disse...

Há administrador da Fundação que nem para a fotografia serve, nunca ninguém lhe pôs a vista em cima.

Ouvi um estrondo enorme disse...

"Ouvi um estondro enorme..."

A autoridades sentadas a ver prédios abandonados a cair, desta vez no Porto

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=1651764

amigosdesousamendes...gmail.com disse...

A translation of the transcript of the video showing the current situation and eventual restoration of Casa do Passal is available upon request from

amigosdesousamendes@gmail.com

Para solicitar uma transcrição do video da Casa do Passal, contactar

Anónimo disse...

Quem vai ficar para a história como o Presidente da Câmara que deixou ruir a Casa do Passal?

Anónimo disse...

Acabo de ler estes comentários, alguns curiosos, mas atrás de pseudónimos nalguns casos. Eu próprio direi algumas coisas: os dinheiros da FASM não foram ou não são unicamente publicos: o capital inicial para a aquisição da casa era formado de fundos publicos MNE e privados (descendentes de Aristides SM). Foi gasto totalmente na aquisição da casa.(não em festas)
O MNE devia dar 10000 euros/ano à Fundação mas depois de Jaime Gama mais nenhum Ministro honrou esse compromisso.
Hoje a Fundação sobrevive em grande parte com fundos privados sobretudo dos próprios administradores.
Quando a Casa foi declarada MONUMENTO NACIONAL devido a processo iniciado pela Fundação o Ministério da Cultura ficou tambem ligado ao processo, mas na verdade não avançou com o projecto de arquitectura a que se obrigou. O Min. da Cultura nem sequer obedeceu á ordem do Ministro Pinto Ribeiro que em julho 2009 em frente à Casa do Passal ordenou que terminassem o prjecto de arquitectura nos 3 meses seguintes!
Certamente que se lembram que a fundação convidou o Ministro a ir aí.... mas se os funcionários não obedecem, a culpa é de quem? da Fundação? Vá lá, pensem um pouco.

é a Fundação actualmente quem tem feito contactos com empresas de Eng. e arquitectos para finalmente começar obras.

À D. Micas direi que até parece que essa senhora deseja ocupar um posto dentro da Fundação
porque será?... traz prestigio e visibilidade não é?
A FASM tem enfrentado muitas dificuldades do lado da administração (estado) mas para certas pessoas é mais fácil encontrar «bodes espiatórios» criticar e deitar abaixo. A aposta desses «grandes admiradores» de Aristides de SM. é que a casa caia.
Deviam era respeitar quem se esforça para restaurar uma Casa que há-de trazer muitos e grandes benefícios a Cabanas e à região !
Quem percorre as escolas e universidades do país para gratuitamente falar do Consul e dos Direitos Humanos!?
Quem colabora com escritores portugueses e estrangeiros e jornalistas para que se escrevam tantas obras e se façam filmes e documentários sobre o assunto!? Peças de teatro!?
Uma coisa muito importante que todos devem saber é que: se não fossem os actuais membros do CA da Fundação a casa de Aristides era talvez apenas um "hotelzinho" e nunca o que será em breve. è que o governo só permitia a criação de uma Fundação com a participação da família!

E alguns membros da familia avançaram. è bom que se saiba!! Esses membros da família que estão na fundação ( e deixam entrar chuva e cair telhas) nem um centimo recebem como remuneração e portanto têm que ganhar a vida trabalhando honestamente.
Merecem ser respeitados e não cobarde e cinicamente criticados!

continuem a má língua se quiserem mas depois não apareçam na inauguração da casa com um grande sorriso... os pseudónimos não escondem tudo.
Antonio De Moncada de Sousa Mendes, neto de ASM e membro da Fundação ASM.

Enviar um comentário