Translate

A morte de um preso político beijosense

domingo, 9 de janeiro de 2011
Diz Luisa Candida Pereira d’Amaral, viuva, de Beijós, que seu marido Isidoro Marques Monteiro, preso por motivo de religião nas cadêas d’Oliveira do Conde, é fallecido, sendo sua derradeira vontade ser sepultado na egreja de S. João Baptista de Beijós, onde jasem os restos mortaes de seus maiores. Quer a supplicante cumprir esta ultima vontade de seu marido, e não o póde conseguir sem despacho. Pelo que pede ao meretissimo sr. Juiz ordinario respectivo se digne mandar entregar immediatamente á viuva supplicante os restos mortaes de seu finado marido, a fim de poder dar-lhes sepultura com a brevidade, que o caso requer.

E receberá mercê.

Despacho:
Entregue-se-lhe, e o carcereiro remetterá immediatamente certidão de obito.
Carregal, 9 de janeiro de 1842

Leitura Complementar: A morte de outro preso político beijosense

3 Comentários:

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

Micas10 disse...

"preso por motivos de religião" em 1842?

Anónimo disse...

Se eu vivesse nesse tempo?
Ja me tinhsm enfiado uma hostia de estrecnina na na boca.Ainda diziam que morri santo.
Filhos da *P**a*
Francisco Abilio Abrantes
U.S.A.

Enviar um comentário