Translate

Fundação Sousa Mendes arranca com estudos para o Programa Museológico da Casa do Passal

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

FUNDAÇÃO ARISTIDES DE SOUSA MENDES
                              Comunicado                                                                         1 de Setembro  de 2011
A Fundação Aristides de Sousa Mendes tem como um dos seus principais objectivos a criação, na Casa do Passal em Cabanas de Viriato, de um museu dedicado a homenagear a memória do herói Aristides de Sousa Mendes e a divulgar o seu Acto de Consciência, no contexto da Segunda Guerra Mundial e do Holocausto, ao conceder vistos de entrada em Portugal a milhares de refugiados como Cônsul de Portugal em Bordéus, França em Junho 1940, apesar de ordens expressas em contrário.  
A Casa de Aristides de Sousa Mendes está situada num local privilegiado numa encosta soalheira virada a nascente para a Serra da Estrela, a poucos quilómetros da Linha da Beira Alta onde viajaram muitos dos refugiados, em plena região do Dão. Como lugar de memória, o sítio convida-nos a reflectir sobre a Consciência e sobre a força de um Homem só, quando movido pelo altruísmo e pela coragem das suas convicções. A recuperação e musealização da Casa do Passal representa um contributo essencial para a reabilitação da memória e para revivificação do dilema de consciência e coragem de Aristides de Sousa Mendes, ajudando a reforçar em nós a confiança de que a História acaba por reconhecer os Bons. Aristides foi reconhecido como Justo entre as Nações (Righteous Gentile) pelo YAD VASHEM em 1966, pela Assembleia da República em 1988 e pelo Parlamento Europeu em 1998.   
Pela força da história de Sousa Mendes, a Casa do Passal já é um local de visitas frequentes. O futuro museu e Sítio da Consciência vai oferecer uma experiência marcante no contacto directo com o ambiente em que a figura incomparável que foi Aristides de Sousa Mendes viveu, tanto nos momentos felizes com a sua numerosa família, como nas horas de amargura em que, cada vez mais sozinho, se defrontou com o processo disciplinar e o ostracismo, inspirando os visitantes a passar da memória à acção, em prol da Tolerância, da Solidariedade e da Paz.
Este ambicioso projecto de musealização da Casa de Sousa Mendes, o “Projecto do Passal”, arranca obrigatoriamente com a elaboração e aprovação de um Programa Museológico Preliminar que servirá de base para os estudos e planos arquitectónicos e financeiros e para as diversas candidaturas a fontes de financiamento, incluindo o QREN e mecenas internacionais. 
O trabalho de abordagem às questões e conceitos relativos ao Projecto Cultural e ao Programa Museológico Preliminar para a Casa do Passal está a cargo do museólogo José Picas do Vale, em articulação com o Conselho de Administração da Fundação Aristides de Sousa Mendes e a Comissão Científica.
Esta tarefa essencial, que está no caminho crítico para o “Projecto do Passal”, conta com o apoio financeiro do Clube Soroptimist International Estoril Cascais proveniente do Prémio Mulher ACTIVA 2007 e de demais mecenas. O relatório será submetido à consulta das Partes Interessadas nas próximas semanas. 
Nota curricular:  José Picas do Vale é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1988),pós-graduado em Direito e os Direitos de Cidadãos com Deficiência pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (2010) e recebeu o Prémio Melhor Mestre em Museologia (2010) pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde é doutorando em História Contemporânea.  Ele tem experiência directa em museus de história, incluindo cerca de vinte anos no Museu de Marinha, onde foi responsável pelo departamento de investigação e pela extensão educativa, entre outras funções.
Mariana Abrantes de Sousa,  Presidente do Conselho de Administração
Cc Aristides Sousa Mendes, Presidente do Conselho Geral 

3 Comentários:

Anónimo disse...

Interessante; É mais um estudo para a casa do Passal...

Anónimo disse...

Tantos estudos para a casa do Passal...mais gastos!Ou será que a troco da grande heroicidade de ARISTIDES SOUSA MENDES os diversos intervenientes vão oferecer o seu trabalho? Espero bem que se passe à obra e que se deixem de protelar as coisas.

Anónimo disse...

Não se conhecem assim "tantos estudos para a Casa do Passal" e muito menos o estudo fundamental de museologia.

Enviar um comentário