Translate

Dia Mundial da Poesia

quarta-feira, 21 de março de 2012
Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
Sol doira
Sem literatura
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como o tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

Mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

1 Comentários:

A. Costa disse...

Fernado Pessoa é tão intemporal que até parece que escreveu este famoso poema...com este verso "Mas o melhor do mundo são as crianas" a pensar nos dias de hoje em que "o sol... que peca, só quando em vez de criar,seca". Sabe-se que ele lia os astros como ninguém mas a uma distância de cerca de 100 anos, em que realmente temos um sol que em vez de criar,seca é obra.

Mas também é importante aqui mencionar um livro belíssimo, em verso, do nosso amigo Hermínio da Cunha Marques com o título "Carregalíades" que, ao estilo dos Lusiades, discorre sobre a História, as terras, nomes mais sonantes de pessoas, festas, costumes e muito mais do concelho de Carregal do Sal.
Não faltam referências a Beijós, às três ou quatro Póvoas, a Pardieiros e ao facto de Sangemil e Penedo já terem pertencido à fregusia de Beijós ou Beijoz. Este livro, começa-se a ler e não apetece parar. Fora editado recentemente pela Câmara Municipal que o distribui. Não está à venda nas livrarias (disse-me o autor), há que pedi-lo ou comprá-lo à autarquia.

Enviar um comentário