Translate

Informação_ Junta de Freguesia de Beijós

quinta-feira, 3 de julho de 2014
A Junta de Freguesia informa que de acordo com o Aviso nº7152/ 2014 da Direção- Geral de Energia e Geologia, publicada em Diário da República de 17 de junho de 2014, torna-se pública a atribuição de direitos de exploração de depósitos minerais (pedreira para exploração de quartzo e feldspato), na freguesia de Beijós, numa área total de 164 hectares.
De acordo com o mapa em anexo, a referida exploração abrangerá uma área desde a localidade de Pardieiros (limites urbanos) à Fonte dos Amores (Beijós).
            A Junta de Freguesia, preocupada que está com tal situação, considera importante advertir os proprietários para os baixos valores que as empresas de exploração pagam pelas parcelas de terreno, assim como alertar para os prejuízos causados ao meio ambiente (lamas, poeiras, gases, ruído, vibrações, erosão dos solos, destruição da vegetação e desaparecimento de espécies) e consequentemente à saúde da população (problemas respiratórios) e economia local (contaminação das águas e desaparecimento do uso produtivo dos terrenos).
            Perante o acima exposto, a Junta de Freguesia solicita aos proprietários de parcelas a explorar, e demais população, que se dirijam à sede da Junta de Freguesia ou contactem os elementos do executivo, de forma a reunir o maior número possível de assinaturas a anexar à reclamação que a Junta de Freguesia irá apresentar às entidades competentes.
            A Junta de Freguesia não aceita que sejam causados tais danos à população, pelo que está a encetar todos os esforços para que a exploração de minérios não seja autorizada.

No entanto, é imperativo que a população manifeste também o seu desagrado, pelo que aqui fica o apelo à participação de todos na recolha de assinaturas.
O Presidente da Junta de Freguesia,
(Carlos Alexandre Pais Baptista)

10 Comentários:

Carlos Peixeira Marques disse...

Muito bem!

Antonio Santos disse...

Muito bem Sr. Presidente! É colocar folhas para assinaturas da população em locais como; cafés, lojas e outros de toda a freguesia.

Anónimo disse...

Snr. Presidente tem totalmente o meu apoio, nao posso este fim de semana assinar mas no proximo assino.A ideia de colocar os papeis nos cafes, lojas existente e bem vista ideia dada pelo nosso Amigo Antonio e, pessoal de Beijós, Pardeieiros não e ficar a espera que a Junta faça tudo, não podemos adormecer, se for para avançar com alguma manifestação e todos, aqui não existe situações partidarias existe sim o bem de uma POPULAÇÃO OK.vAMOS A ISSO. ANA PAULA FERNANDES-morada Beco do Castelo, nº4-Beijós

Anónimo disse...

E porque não um peditório online ?

Sérgio Nunes disse...

Apoiado.

A. Abrantes disse...

"A José Aldeia Lagoa & Filhos, S.A., com sede na Roussa, concelho de Pombal e distrito de Leiria, está inserida no universo das empresas do sector extractivo. Tem como ramos de actividades primordiais a extracção, beneficiação e comercialização de matérias primas para indústrias de cerâmica e vidro e inertes para a construção civil." (via Net)

Este texto, sobre a empresa requerente, mostra que nos referidos 160 ha não há minério nobre nenhum. Os donos desses terrenos (que serão algumas centenas) não pensem que agora vão ficar ricos.

Basta ver o que tem acontecido em muitas explorações mineiras na Beira Alta, como são os casos da Urgeiriça e da Cunha Baixa (Mangualde). Problemas de recuperação ambiental muito difíceis de minorar, que vão afectar muitas gerações futuras, para falar suavemente sobre esses assuntos.

Um estudo recente de que tive conhecimento, o caso das Minas de S. Domingos, no concelho de Mértola, Baixo Alentejo (exploração de enxofre) também mostra que, depois da exploração, o que fica são crateras colossais, águas altamente poluidas, a vida selvagem vegetal e animal totalmente alteradas para muito pior.

O nosso Presidente da Junta de Freguesia tem toda a razão.

Embora tenha algumas dúvidas quanto aos trâmites que se seguem até que a autorização de exploração possa ser concedida, parece claro que nada de bom virá, pelo menos para todos os que estão a jusante, como é caso dos proprietários dos diversos vales das ribeiras de Beijós e não só.

Não será possível fazer um a recolha de assinaturas também via internet, talvez com base num texto-carta de resposta ao Aviso da Direcção-Geral de Energia e Geologia de 17 de Junho de 2014?

Realmente tudo indica que parados não podemos ficar...

António Abrantes

Micas10 disse...

NÃO A PEDREIRA EM BEIJÓS
Trata-se de criar uma pedreira no Lapão ? Sou contra
- Podiamos "caminhar" o perímetro este domingo de manhã 6-Julho para ficar a conhecer ?
- Já temos advogado para estudar as opções legais e preparar a reclamação
- Lista preliminar de proprietários afectados e lista de contactos dos que estão fora
- Telefone ou skype da Junta, e horário de contacto para aqueles que estão fora juntadebeijos@iol.pt, 232 671 649

Eu acho que sou um dos propritários directamente afectados, mas 160 ha abrange muita gente

PPP Lusofonia disse...

Novo endereço e-mail da Junta de Freguesia de Beijós

juntadebeijos@gmail.com

Anónimo disse...

Há petróleo no Beato!!!
Há minério em Beijós!!!

Olhem, caros conterrâneos, o problema dos gases, dos ruídos, vibrações e consequente poluição dos solos, tudo isto é provocado especialmente por o feijão, o grão de bico, o tremoço, o amendoim e localmente, é cá uma revolução intestinal que não vos digo nada!
Pois tem consequências físicas que contribuem para a poluição dos solos, devido às descargas sanitárias provocadas por este tipo de agricultura atávica e esta gastronomia mediterrânica que é um estrago ecológico ambiental!!!
Eliminemos a agricultura e vamos deixar que a exploração do tal minério (a arma secreta da riqueza local no futuro dos nossos filhos e netos) e assim se fará a cosmética de uns pós nas nossas oliveiras, videiras, couves, alfaces, cenouras, fruteiras...
O minério mais precioso da nossa freguesia é a ÁGUA. Encontra se na mina da labueira e fornece o mais puro e melhor caudal do mais precioso líquido que é a vida das nossas vidas e faz parte do grupo de Águas do Planalto.
Quem são os empreendedores deste presumível projeto mineiro? Já contactaram a Câmara Municipal do nosso concelho? Já se apresentaram à junta de freguesia de Beijós? Já se encontraram cara a cara com a população de Beijós, Pardieiros, Póvoa da Pégada e Póvoa de Lisboa? De onde vem este projeto? Qual é o impacto socioeconómico e ecológico ambiental na nossa comunidade?
Serão estes empreendedores os mesmos que descobriram o "PETRÓLEO NO BEATO"? É melhor brincarmos! Porque se isto é a sério teremos o BIG BROTHER a comandar o nosso presente e o futuro dos nossos vindouros!
Qual é o futuro do nosso jardim? Qual será o futuro dos nossos proprietários agricultores, das nossas mulheres empresárias agrícolas, criando seu próprio emprego, agarradas ao volante do seu trator, conduzindo pela madrugada as carrinhas com os produtos agrícolas para vender nas praças e feiras, por esse país adiante, mulheres independentes fazendo a felicidade das suas famílias?Será que as veremos mineiras, cobertas de pó, cobertas de inertes que lhes queimam os pulmões, será essa a maquilhagem da beleza da nossa terra?
Haverá alguém por aqui que seja "Judas" tentando vender o nosso paraíso por trinta dinheiros?
Curiosidade de um "Engenheiro das Químicas"

Anónimo disse...

Minha Mãe vou p´ró minério,
Ai que lá anda boa gente.
Ganha-se lá bom dinheiro,
Mas ai o corpo é que o sente!!!

Extrato de cantiga popular cantada nos anos de 1930 e 1940 a quando do inicio da exploração das minas de Urgeiriça.(Memórias de D. Eulália Pais, de 84 anos de idade, proprietária agrícola, juntando se ás vozes de protesto de habitantes preocupados da freguesia de Beijós).
Os velhos são as bibliotecas vivas da nossa sociedade.
Curiosidade de um "Engenheiro das Químicas"

Enviar um comentário