Translate

17 de Junho, Dia da Consciência - Homenagem a Aristides de Sousa Mendes

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sé Catedral de Lisboa.


Que o dia 17 de Junho passe a ser universalmente declarado como o "Dia da Consciência", em memória do acto de Aristides de
Sousa Mendes, é a intenção da Fundação Sousa Mendes , de familiares e amigos da causa pela memória de um Homem Bom.


"Hoje, 17 de Junho, é o 70º aniversário do dia de Junho 1940 em que Aristides de Sousa Mendes decidiu seguir a sua consciência e tentar "salvá-los a todos", os refugiados que se acumulavam à porta do Consulado de Portugal em Bordéus desesperados por um visto que lhes permitisse sair da França em capitulação face ao blitzkrieg nazi, e atravessar a Espanha encerrada para alcançar o refúgio seguro em Portugal."





O Bispo, D. Tomaz da Silva Nunes, em conversa com o Embaixador dos Estados Unidos Mr. Allan Katz.











Hoje, pelas 19H00 celebrou-se uma missa em tributo a Aristides de Sousa Mendes, celebrada pelo Senhor D. Tomaz da Silva Nunes, Bispo
Auxiliar e Vigário-Geral do Patriarcado, com a participação do Coro de Câmara de Lisboa.







Entre as várias entidades que estiveram presentes, para além dos membros da família de Aristides de Sousa Mendes, o Embaixador dos EUA, Mr. Allan Katz, a Presidente da Fundação Sousa Mendes, Drª Maria Barroso o Dr. Zahir Sidi, Vice-Presidente da Comunidade Ismaelita, a Dr.ª Laura Cesana, em representação da CIL (Comunidade Israelita) e o Dr. José António Pinto Ribeiro, ex-Ministro da Cultura.







Embaixador dos Estados Unidos com alguns familiares de Sousa Mendes e Mariana Abrantes de Beijós.












Alguns dos que marcaram presença na Missa em memória de Aristides de Sousa Mendes.









Veja mais fotos na Palheira do Beijós XXI


8 Comentários:

Amigos de Sousa Mendes disse...

Parabéns e agradecimentos ao fotógrafo!

Amigo de ASM disse...

“17 de Junho, Dia da Consciência”

Porquê um Dia da Consciência pelos actos de salvação dos horrores do nazisnmo?

Porque a memória das pessoas tende a ser curta. Particularmente quando já passaram várias gerações sobre os crimes hediondos dos nazis, com a colaboração por acção ou por omissão, como o fez o governo da ditadura salarista.

A passagem do tempo faz-nos esquecer o horror e o sofrimento, o que tem o seu lado positivo. Mas com os anos também há uma tendência para as pessoas, os povos, baixarem a guarda face aos desmandos dos ditadores e quejandos espécie que, de vez em quando, põe a cabeça de fora. E isso é mau. Muito mau.
Uma das formas de contraiar essa perda de vigilância e de guarda é asinalar uma data em que as pessoas se podem reunir e reflectir sobre o que se passou, quem interveio nesses acontecimentos e como o fizeram.

Aristides de Sousa Mendes não quis ser um colaborador do genocideo que os nazis tinham em marcha e que fez encher de desesperados as escadarias e corredores do Consulado de Bordéus, naquelas dramáticos dias de Junho de 1940. Por isso decediu desobedecer ás ordens inícuas de Salazar.

As decisões de Sousa Mendes, tomadas de forma absolutamente consciente do passo que dava e das suas consequências, foram um raio de luz que abriu uma brecha na estupidez e na desumanidade dos nazis e seus colaboradores.

Por isso é tão importante tomarmos um dia, este dia 17/6, como referência, marcá-lo no calendário para que possamos hoje e no futuro, comemorar a dádiva e a solidadriedade humanas para com os injustamente perseguidos e, ao mesmo tempo, para lembrar aos presentes e vindouros que nazismo, facismo e regimes totalitários podem ameaçar voltar mas que terão o mesmo fim, físico ou histórico, que teve Hitler, Mussolini, Salazar, Franco e todos os seus companheiros de jornada.

Podemos estar em luta contra todos, contra normas ou hierarquias, menos contra a nossa própria consciência. Asim fez Sousa Mendes e com isso escreveu uma das páginas mais interessantes e sublimes da História da Humanidade.

beijokense disse...

"Regimes totalitários podem ameaçar voltar"??? Até parece que, neste momento, por esse mundo fora, não existem tantos milhões de pessoas subjugados a regimes totalitários!
É verdade, a memória é mesmo muito curta - há pouco mais de 20 anos metade da Europa ainda vivia sob regimes totalitários.

António disse...

Obrigado

Primeiros Resistentes disse...

Sarkozy visitou Londres para comemorar o 70º aniversário do Apelo à Resistência transmitido a 18-Junho-1940 na BBC, o dia e que tudo mudou na condução da Segunda Grande Guerra. O Presidente Sarkozy prestou homenagem não só à memória do Genernal Charles de Gaulle mas também à dos outros Primeiros Resistentes, àqueles que deixaram de acreditar na França e nos ideais da liberdade.

A seguir à transmissão em directo de Londres das celebrações. a televisão francesa passa um filme lindíssimo sobre a vida de Aristides de Sousa Mendes, "Desóbeir", outro dos Primeiros Resistentes.

beijokense disse...

Por falar em regimes totalitários: http://bit.ly/a49ZLY

beijokense disse...

Já agora, leia-se isto.

Micas10 disse...

Hoje há uma exposição que inclui Aristides de Sousa Mendes em San José, California, no Kelley Park

Today, Saturday, August 14 from 10 AM to 5 PM at History Park at Kelley Park in San José, California there will be an exhibit on Aristides de Sousa Mendes -- "Aristides, A WWII Hero"
This is part of the "Keep the Spirit of '45 Alive" celebrations to commemorate the 65th anniversary of the end of World War II.
Thousands are expected to attend this event.

Enviar um comentário