Translate

Crianças beijosenses emigradas para o Brasil

quinta-feira, 10 de junho de 2010
Comemora-se hoje um daqueles feriados que dá um jeitaço para construir pontes. Comemora-se Portugal e as Comunidades Portuguesas, um tempo para lembrar os beijosenses emigrados. Hoje posto sobre os emigrantes beijosenses do séc. XIX. 
O deputado Oliveira Martins dizia à Câmara em 1887:
«Os dados recolhidos ácerca d'estes diversos assumptos seriam o bastante, parece me, para se formar uma idéa nitida do estado em que se encontra o paiz, estado que me parece contrastar de um modo gravissimo com aquelle que se afigura a muitas pessoas que não olham alem do perimetro da capital.
«(...) V. ex.ª e a camara sabem perfeitissimamente que a emigração portugueza é descomunal, e que ella é sem duvida alguma o facto economico que em Portugal traduz de uma maneira mais completa, de uma maneira mais evidente, a desordem da nossa economia interna.
«(...) é porque a população que sáe não pode obter alimentos nas localidades onde existe (...) por exemplo (...) no concelho do Carregal, n'uma população de 12:800 habitantes emigram 150 pessoas por anno; quer dizer, mais de 12 por cento da população [nos últimos 10 anos]».

Dez anos antes, num vapor procedente de Hamburgo, desembarcaram no Rio de Janeiro duas dezenas de habitantes do concelho do Carregal, alguns dos quais crianças beijosenses "recomendadas" a angariadores de imigrantes no Brasil. O mais pequeno era José de Melo Gouveia, natural do Penedo, com 11 anos e apenas 1,21 m, recomendado a Augusto César de Melo, de Beijós. Mais 2 cm tinha António Gomes de Campos, também de 11 anos, recomendado a António dos Santos Ventura, da Lapa do Lobo, que também levou consigo José Borges, de 14 anos e 1,38 m. A Lino Neves da Cunha, das Laceiras, foi recomendado Adelino Cardozo Ferrão, de 15 anos e 1,61 m. Deste último, os leitores do Beijós XXI já conhecem uma história (aqui e aqui). Das outras crianças emigradas (ainda) não temos notícia.
(registo de passageiros do vapor Valparaiso)

1 Comentários:

beijokense disse...

In 2007 and 2008, more than 100,000 Portuguese decided to emigrate

Enviar um comentário