Translate

Tomate, batata e cenoura são os legumes mais exportados

domingo, 16 de janeiro de 2011
Tomate, batata, cenoura e couves são os produtos hortícolas mais exportados por Portugal, mas o país continua a ser "altamente deficitário no setor hortofrutícola", alerta o Observatório dos Mercados Agrícolas e Importações Agro-Alimentares (OMAIA).

Os produtos maioritariamente exportados por Portugal são o tomate (63%), a batata de conservação (12%), as couves (5%) e a cenoura e o nabo (quatro por cento), refere um estudo do OMAIA sobre a evolução da balança de pagamentos no sector hortofrutícola na última década. Reino Unido, Alemanha, França e Espanha são os países que mais compram os vegetais portugueses.

Apesar de as exportações terem aumentado seis vezes nos últimos dez anos, Portugal ainda é "altamente deficitário ao nível do sector das hortícolas, tendo uma balança muito desfavorável", disse à Lusa Antónia Figueiredo, presidente do Observatório dos Mercados Agrícolas, uma estrutura criada pela Assembleia da República. "O Estado tem de considerar que a Agricultura é uma forma de criar riqueza para o país e é também uma estratégia para combater o desemprego", argumenta, recordando que "metade do país está desertificado e despovoado, com as terras abandonadas".

Apesar de as saídas dos últimos 10 anos terem praticamente sextuplicado em volume, a verdade é que o seu valor não chegou a quadruplicar. "Estamos a exportar mais quantidade por preço inferior. A balança comercial neste sector é claramente deficitária", refere o estudo.

A produção de vegetais e hortícolas cresceu, ao longo dos últimos anos, a um ritmo de três por cento ao ano desde 2000 e estas culturas ocupam actualmente mais de 30% de superfície agrícola do que em 1996.

Fonte: Lusa, DN

Ver também a balança comercial

13 Comentários:

Cenourinha disse...

Serão de Beijós as cenouras exportadas?

Anónimo disse...

Toda a gente diz, e os próprios hipers sabem e têm isso bem em conta, que os produtos hortícolas e muitos dos frutos que aí se vendem são de melhor qualidade, nomeadamente mais saborosos que os de origem estrangeira.
Sendo assim, porque é que se importam tantos porodurtos desses e esses hipermercados promovem tanto os produtos estrangeiros quando deviam promover mais e melhor os produtos nacionais?

Carlos Peixeira Marques disse...

O Beijós XXI exporta cenouras desde Outubro de 2007.

Nuno disse...

Porque os estrangeiros são mais baratos.

Marketeer disse...

Não basta o logotipo do Beijozxxi, apesar de ser giro.

Precisamos de uma marca "Cenouras de Beijós".
Haverá por aí algum especialista de marketing, que possa criar o "marketing mix"?

Depois é "só" convencer os produtores a aderir (lol).

Como evento de lançamento, podemos fazer uma caminhada, vestidos à cenoura, seguida de uma almoçarada, à base de cenoura...
- sopa de cenoura
- peixe com cenoura
- carne com cenoura
- salada de cenoura
- doce de cenoura
- pudim de cenoura
- licor de cenoura
---
Haverá uma receita (a 366ª) de Bacalhau com Cenoura?

Anónimo disse...

O marketeer que compre as terras, produza as cenouras e lance a marca, fartos de ideias andamos nós, precisamos é de produzir.

Anónimo disse...

agradeçam ao sr. cavaco, pois foi ele que começou a pagar para não produzir, o tempo das vacas gordas como ele o apelidou, em que o dinheiro chegava aos milhões por dia ao nosso pais,e agora vem falar em pobreza e em melhor aplicação dos fundos, depois de ñ os haver.

Anónimo disse...

A culpa nao e do cavaco e do cavaquistao.

Anónimo disse...

E hoje o dinheiro não continua a chegar aos milhões? Pelo menos até 2013.

Anónimo disse...

a xegar aos milhoes ate 2013 onde?

Portugal Fresh disse...

"O volume de negócios de hortícolas atinge os 2.300 milhões de euros e exportamos 770 milhões de euros. Isto é superior à exportação de vinho ...", afirmou Manuel Évora, presidente da
Portugal Fresh, recém-criada agência para a promoção da fruta, flores e legumes portugueses.

Fruit Logística 2011 disse...

Cerca de 30 empresas portuguesas estão em Berlim para mostrar o potencial exportador do sector das frutas, legumes e flores, na maior participação de sempre da indústria nacional e que apresenta, pela primeira vez, Portugal como um todo.

Como, portanto importo disse...

Temos um défice alimentar de 3,5 mil milhões de euros/ano, que temos de combater, com a reserva alimentar, dando prioridade à exportação de produtos agrícolas e à organização da lavoura.

Enviar um comentário